O encaixe milionário da venda do NFT da bandeira da Ucrânia digital irá somar-se ao bolo total de donativos de criptoativos, que esta quarta-feira rondava os 34 milhões de euros.
Desde o dia 24 de fevereiro – o dia da invasão militar da Rússia – chegaram à Ucrânia o equivalente a 37,9 milhões de dólares (cerca de 34 milhões de euros ao câmbio atual) em doações de criptoativos, de acordo com estatísticas da empresa de análise de dados cripto Elliptic relativas a esta quarta-feira, 2 de março. E nestas contas ainda não entraram os 6,34 milhões de dólares (5,68 milhões de euros) do leilão de um NFT (non-fungible token, ativos digitais não-fungíveis) da bandeira da Ucrânia, realizado esta quarta-feira.
Os 34 milhões de euros dizem respeito às doações feitas diretamente ao Estado ucraniano através das carteiras abertas pelo governo de Kiev, e às doações feitas à organização não-governamental “Come Back Alive”, criada em 2014 para apoiar o exército ucraniano em formação, soluções tecnológicas, cuidados médicos, financiando “exclusivamente estratégias defensivas”, segundo a página da organização.
O governo ucraniano está desde sábado, 26 de fevereiro, a receber donativos em quatro criptomoedas: Bitcoin, Ether, Polkadot e a Tether – esta última moeda indexada ao valor do dólar e que, por isso, pertence ao grupo das stablecoinstokens que acompanham os preços de um determinado ativo.
Assim, a Ucrânia angariou 37,9 milhões de dólares (34 milhões de euros) em criptoativos desde o dia 24 através de mais de 48 mil donativos. Segundo a Elliptic, este valor inclui um donativo de 5,8 milhões de dólares (5,2 milhões de euros) do criador do projeto blockchain Polkadot e co-fundador do protocolo Ethereum, o britânico Gavin Wood.
Até agora, 31,5% das doações foram de Bitcoin, seguida da Ether, com uma quota de 28,2%. As stablecoins perfazem 15,9% das doações totais.
Um CryptoPunk entre os donativos
Entretanto, além das criptomoedas mais populares, entram nos contributos outros ativos digitais. Entrou também na carteira de apoio à causa ucraniana na terça-feira um dos NFT mais populares e cobiçados pelos investidores deste tipo de ativos digitais: um CryptoPunk avaliado em mais de 200 mil dólares (180 mil euros).
Os CryptoPunks são uma coleção de 10 mil bonecos, diferentes entre si, cuja posse é certificada através do registo na blockchain. As imagens dos CryptoPunks podem ser descarregadas e utilizadas, mas a posse do original está estabelecida no grande registo distribuído do protocolo Ethereum. O CryptoPunk mais caro alguma vez vendido alcançou os 23,7 milhões de dólares (21 milhões de euros) numa transação concluída em fevereiro deste ano.
Outro NFT com a imagem da bandeira da Ucrânia, cunhado pela organização UkraineDAO (de um grupo de ativistas que inclui a banda feminista russa Pussy Riot) foi leiloado esta quarta-feira e vendido por 6,34 milhões de dólares (5,68 milhões de euros), segundo a Elliptic.
A Elliptic alerta que, lado a lado com estas iniciativas, nascem burlas que visam angariar dinheiro alegadamente para doar a organizações ucranianas, apelando à cautela de quem quer contribuir.